Notícia

TJSC: professora exonerada grávida, mesmo que contratada temporária, faz jus ao pagamento de indenização

01 de Dezembro de 2017
TJSC: professora exonerada grávida, mesmo que contratada temporária, faz jus ao pagamento de indenização

A contratação temporária possui natureza provisória e precária e não gera direito a estabilidade no cargo - todavia, o direito à estabilidade de gestante é assegurado constitucionalmente.

Sob essa premissa, a 1ª Câmara de Direito Público do TJ, em matéria cujo relator foi o desembargador Luiz Fernando Boller, manteve sentença que condenou município ao pagamento das verbas indenizatórias em favor de professora admitida em caráter temporário e exonerada do cargo quando já estava grávida. A contratação a título precário não tem o condão de afastar a garantia constitucional destinada a promover a proteção da mulher e do nascituro , destacou o sentenciante.

A professora receberá os salários a que faria jus desde a data de sua demissão indevida até o quinto mês após o parto, bem como verbas referentes a férias e 13º proporcionais ao período. O órgão julgador, de ofício, procedeu apenas à adequação dos juros de mora, que passam a ser contados da citação e pelos índices aplicáveis à poupança. A decisão foi unânime (Apelação Cível n. 00013812720138240072).


Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)
Textos: Américo Wisbeck, Ângelo Medeiros, Daniela Pacheco Costa e Sandra de Araujo

Link da Notícia: https://portal.tjsc.jus.br/web/sala-de-imprensa/-/professora-exonerada-gravida-mesmo-que-act-faz-jus-ao-p
agamento-de-indenizacao?redirect=https%3A%2F%2Fportal.tjsc.jus.br%2Fweb%2Fsala-de-imprensa%2Fnoticias%3Fp
_p_id%3D101_INSTANCE_3dhclc9H4ihA%26p_p_

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina
Data da Notícia: 01/12/2017